quinta-feira, 7 de março de 2013

A pouca vergonha deste país não tem fim

É caso para dizer, somos um país de milionários. Os preços que se praticam em Portugal sobre os bens de primeira necessidade, sobre a alimentação, sobre os combustíveis e sobre as energias são ESCANDALOSOS E DEVERIAM DAR DIREITO A ANOS E ANOS DE PRISÃO SE VIVÉSSEMOS NUM PAÍS COM JUSTIÇA.
 
MAS JÁ SE SABE, UM POVO QUE FAZ MANIFESTAÇÕES A CANTAR A GRÂNDOLA VILA MORENA, NÃO PODE ASPIRAR A MUITA COISA. ENQUANTO NÃO TERMINAREM COM OS TIQUES COMUNOÍDES NÃO VAMOS A LADO NENHUM.
 
 
 
 
PORQUE É QUE O POVO NÃO FAZ UMA MANIFESTAÇÃO DO GÉNERO: ENQUANTO OS ESCÂNDALOS DESTE PAÍS NÃO FOREM RESOLVIDOS NINGUÉM VOTA, NEM NAS AUTÁRQUICAS NEM NAS LEGISLATIVAS, NEM NAS PRESIDENCIAS.
 
PORQUE SERÁ QUE ESTA GENTE NÃO FAZ UMA MANIFESTAÇÃO COM UM "CADERNO REIVINDICATIVO"; ENQUANTO OS CHULOS DESTE PAÍS NÃO PASSARAM A RECEBER APENAS UMA REFORMA NINGUÉM VOTA; ENQUANTO OS SALÁRIOS DOS GESTORES E ADMINISTRADORES PÚBLICOS NÃO DESCEREM PARA MENOS DE METADE NINGUÉM VOTA; ENQUANTO AS PENSÕES DA MAIORIA DA POPULAÇÃO NÃO ATINGIREM VALORES RAZOÁVEIS NINGUÉM VOTA; ENQUANTO  OS RESPONSÁVEIS PELO ESTADO CALAMITOSO DO PAÍS NÃO FOREM INCULPADOS E PRESOS NINGUÉM VOTA; ENQUANTO O POVO NÃO PARAR DE SER ROUBADO DIARIAMENTE PELA VERGONHOSA MÁQUINA FISCAL NINGUÉM VOTA; ENQUANTO NÃO ACABAREM AS MORDOMIAS DOS POLÍTICOS E DOS DEPUTADOS EM GERAL NINGUÉM VOTA; ENQUANTO NÃO FOR APLICADA A LEI DAS INCOMPATIBILIDADES, NÃO PERMITINDO AOS POLÍTICOS TEREM OUTRA PROFISSÃO ENQUANTO ESTEJAM NA POLÍTICA NINGUÉM VOTA; ENQUANTO NÃO ACABAREM COM CERTOS SINDICATOS MAFIOSOS CONLUÍDOS COM ESTES (DES)GOVERNANTES NINGUÉM VOTA.
 
Mas não, apenas fazem-se manifestações e canta-se a Grândola (que parolismo comunoíde), chama-se gatunos e ladrões, debitam-se palavras de ordem como "demitam-se" e "está na hora do governo ir embora" (pois, e quem vai para lá?). Enquanto o povo português não tiver um caderno reivindicativo como o acima indicado ou parecido, podem cantar a Grândola à vontade, chamar ladrões e gatunos, que a classe política portuguesa estar-se-á cagando para isso, e quiçá até se rirão às gargalhadas, e a pouca vergonha continua...